Onfly levanta R$ 2 milhões

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram

Marcelo Linhares, sócio da Onfly.

20/01/202

Com aporte da Cedro Capital, a startup de viagens corporativas pretende crescer apesar da pandemia. 

A Onfly, startup mineira de viagens corporativas e gestão de despesas, recebeu um aporte de R$ 2 milhões da Cedro Capital, gestora de recursos sediada em Brasília.

Criada em 2018, a startup tem como fundadores Marcelo Linhares e Elvis Soares, além de contar com Daniel Bento, ex-CEO da Decolar, no papel de advisor.

A travel-tech é focada em pequenas e médias empresas, gerindo toda política de viagens, fluxo de reembolsos e aprovações de despesas, além de entregar uma plataforma self-booking de passagens e hotéis com até 40% de desconto.

Com mais de 1 mil clientes em todo o Brasil, a startup movimentava R$ 1,8 milhão mensalmente antes da pandemia.

Segundo a Onfly, o primeiro contato com a Cedro Capital aconteceu em janeiro de 2020, mas a empresa estava crescendo bastante e, naquele momento, o aporte não fazia sentido. Contudo, a pandemia fez o cenário mudar. 

“Nosso setor foi um dos mais atingidos devido à Covid-19. As viagens de negócios quase pararam durante a pandemia, forçando muitas empresas a realizarem reuniões virtuais por conta das restrições. O pior mês de vendas foi abril de 2020, quando elas praticamente zeraram suas viagens”, conta Marcelo Linhares, CEO e cofundador da Onfly.

Em junho do ano passado, a negociação foi retomada e o processo durou cinco meses. 

De acordo com Alessandro Machado, sócio e diretor da Cedro Capital, a Onfly chamou a atenção em 2019 com alguns aspectos de posicionamento de mercado, como agência corporativa digital, qualidade da plataforma em termos de usabilidade e competitividade de preços. 

“Quando veio a pandemia, percebemos a aceleração da digitalização dos serviços em vários setores, do varejo à educação, e então focamos na oportunidade. Quando as viagens corporativas retomarem ao estado normal, as empresas voltarão mais digitais do que nunca e a Onfly está pronta”, avalia Machado.

Com o investimento, a Onfly ganha a liquidez que considera necessária para crescer apesar do impacto causado pela pandemia. De acordo com a Skift Research, o Brasil retomou cerca de 50% do volume de passageiros e a tendência é de crescimento. 

“Mesmo com 60% ou 70% do volume do passado, a Onfly terá um grande mercado para explorar empresas que buscarão eficiência, digitalizando seus processos de viagens”, projeta o diretor da Cedro Capital.

Para este ano, a perspectiva da startup é movimentar R$ 45 milhões em viagens, volume cinco vezes maior do que o ano passado, que fechou em R$ 8,5 milhões. Até 2025, os planos são ambiciosos: a empresa espera um faturamento de R$ 1 bilhão no período.

“Estamos bem alinhados em relação às nossas metas e otimistas com a chegada da vacina. Acreditamos em um crescimento exponencial, principalmente no segundo semestre”, afirma o CEO da Onfly. 

Para isso, a empresa está trabalhando na evolução da plataforma, com o lançamento de quatro a cinco novas funcionalidades por mês, contratando profissionais de tecnologia, marketing, vendas e automatizando os processos operacionais.

Fundada em 2013, a Cedro Capital tem foco nas empresas do Centro-Oeste, Tocantins e Minas Gerais. A gestora tem no portfólio as startups Configr, Getrak, Kanttum, iMedicina, Apura, Gura, XVision, Xodó, Nucont e Portal de Compras Públicas.